Olhos!

Olhos!


Hoje chove muito.
Benção da Senhora das Águas!
Umidade e calma.

 

Sento para meditar e logo entro numa vibração pacífica, experimentando um plano de consciência amorfo e dinâmico.

Fico algum tempo imersa neste estado…

Pouco a pouco começa a emergir em minha consciência a recordação de uma experiência que vivi há uns 20 anos atrás.

 

Estava sozinha numa pequena cachoeira num morro de Ubatuba. Um delicioso lugar isolado, cercado de mata.

Encontro um pouso agradável para sentar e ali fico, absorta a contemplar.

Percebo distraída, pelo canto dos olhos, pequenos brilhos, numa pedra ao lado da cachoeira.

Estes brilhos começam a faiscar e chamam minha atenção. Olho mais diretamente para eles, então.

Aos poucos vou percebendo pequenos objetos (uma carroça, um carrinho de mão) e minúsculas pessoinhas circulando por ali. Estes seres têm, talvez, um centímetro de altura, e os objetos e as construções (casas simples, ruas) por onde elas circulam, são proporcionais a elas.

Fico um bom tempo contemplando este pequeno vilarejo, cheio de vida e movimento.

Nem me lembrava mais desta história! Tanto tempo faz!

Nesta meditação, esta história apenas passa pela minha mente. Como vem, ela vai.

 

Continuo por mais algum tempo meditando, apenas sentindo e vivendo a vibração de serenidade e paz.

Num momento, abro os olhos e dirijo meu olhar para a mata, que pode ser vista pela janela do quarto onde estou.

Vejo um grande deva. Um espírito da natureza.

Para ser mais precisa, vejo sua cabeça. Seu rosto tem uns 4 m de altura e, digamos, uns 2,50 ou 3 m de largura. Profundidade, não sei, mas é tridimensional.

Nunca o tinha visto antes.

Ouço Serafim: “ Tu agora vês pela janela um grande espírito da natureza que não conhecias.

Ele hoje se revela a ti.

É um antigo espírito das matas. Testemunha da história e dos carmas deste lugar.

Por que hoje tu o vês?

Porque ele hoje veio te saudar.

Saudar o Xamã que tu és e todas as histórias que tu tens para contar.

 

Histórias de encontros mágicos na natureza…

Histórias da natureza se revelando a ti.

Sim, filha! Tu sabes que na natureza há muito mais do que os olhos físicos conseguem perceber.

Tu expressas isto como: Luz da Natureza.

É uma magnífica expressão!

Foi a forma que encontrastes para expressar a tua percepção desta outra dimensão.

Dimensão que só é possível contatar através do portal que é aberto pela alegria serena e pura que vem do coração.

Profunda paz e contemplação.

Recordastes a pequenina cidade, pequeno mundo, que vistes na cachoeira há muitos anos atrás.

Sim, filha!

É uma outra dimensão de existência. Uma civilização que divide com os humanos, da 3ª dimensão, os mesmos espaços, no corpo de Gaia, sua Mãe.

Sim, filha! É assim!

Bem aqui existem muitos mundos. Enormes e minúsculos, nas diversas dimensões.

Este enorme deva que tu hoje vês, traz para ti esta confirmação.

Existem muitos como ele, vivendo aqui e agora, em outras dimensões. Existências muito diversas da tua.

Outras experiências…

Outros tipos de encarnação.

Este deva em particular, existe há eons.

Estava aqui antes mesmo que o planeta estivesse estável na sua atual forma e encarnação.

 

Para que te digo tudo isto, filha minha?

A que serve toda esta informação?

Serve apenas para que saibas como é ampla e diversa a Sagrada Criação.

Mundos e mundos e mundos… convivem aqui. Mundos dentro de mundos.

Mundos dentro de ti.

Este é o Ser Ilimitado em que tu habitas e que Habita em ti.

O Espaço Físico é infinito.

Infinitos universos de matéria sólida.

E nesta matéria sólida, infinitas dimensões não materiais.

 

Este é o Infinito que hoje Te contempla.

E que contemplas tu!

 

Agora querida, te surpreendes, porque novamente vês o Roncó de Aroni. *

Sim, filha!

Ele está lá. Como sempre esteve. Antes que tu o percebesses, lá já estava.

Continuará a existir quando tu não mais o puderes ver.

 

Sim, filha!

Mundos e mundos infinitos dentro de mundos.

Maravilhoso Poder de Deus-Deusa.

Poder da Criação.

Reverência e Encantamento!

Tu És Isto!

Puro poder!

Pura expansão”!

 

Serafim termina sua fala.

Me vem uma constatação: muito mais ainda verei. Ainda há muitos olhos a serem abertos. Olhos para viver e ser.

 

Olhos que me contemplam

Olhos que contemplam a si

 

 

A imagem que ilustra o post é uma foto feita pelo Hubble, divulgada pela NASA. Nebulosa Helix (NGC 7293). Os astrônomos apelidaram esta nebulosa de “Olho de Deus”.
*Roncó de Aroni – quarto sagrado dedicado ao espírito da natureza Aroni. Este espírito da natureza é companheiro do Orixá Ossãe. Por alguns meses, sempre que olhava para um determinado ponto da mata, via uma pequenina casinha. Que sempre chamei de Roncó de Aroni.
Há meses não a via mais…
Bom saber. Sua existência independe do meu olhar.
Como tudo nos mundos! kkk

Autor

O Caminho Espiritual sempre foi meu foco de interesse na vida adulta: estudo, reflexão, meditação, autoconhecimento, crescimento e transformação pessoal. Partilhar o que encontramos nesta jornada também é uma exigência do Caminho. Por isto estou aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *