Mãe

Mãe


 

Mãe

 Reverenciando a Mãe que habita em todas as mães

 

Mãe que pariu os seus filhos

Mãe que os adotou

 

Mãe de cachorro

Mãe de gato

Mãe de animais silvestres

 

Mãe de indígenas

Mãe de refugiados

Mãe de todos os biomas

Que existem

Sobre a crosta terrestre

Mãe dos pobres

Mãe dos aflitos

Mãe de alunos carentes

Mãe de todos os desvalidos

Mãe de todas as gentes

 

Mãe que me pariu

Me nutriu e me criou

Mãe que me corrigiu

Me acolheu e perdoou

 

Mãe que me ensinou a ser mãe

Dos meus filhos…

Dos amigos e clientes

 

Mãe, mater, matéria

Que, com o seu amor, construiu

Uma linda ponte dourada

(bordada em filigranas)

Que me levou direto

Ao centro

Do coração de Gaia

 

Esta ponte dourada,

Deste coração se estende…

Em todas as direções

Oh! Infinitamente…

E me deposita suave

Muito suavemente

No colo

No ventre

(tão macio e quente)

Da amada Mãe Divina

Ela é onipresente!

 

Onigeradora

Ela é onisciente!

 

Oniacolhedora

Ela é onicontente!

 

 

 

Nota
Esta expressiva palavra: ONICONTENTE, não fui eu que criei. Foi criada por um menininho de 5 anos, como me contou uma amiga que o conhecia. Há muito tempo atrás…

Autor

O Caminho Espiritual sempre foi meu foco de interesse na vida adulta: estudo, reflexão, meditação, autoconhecimento, crescimento e transformação pessoal. Partilhar o que encontramos nesta jornada também é uma exigência do Caminho. Por isto estou aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *