Iniciação Xamânica

Dia 9

Iniciação Xamânica


 

Estou na dimensão da aldeia.

Vou chegando ao meu corpo deitado na esteira na Cabana de Cura.

Há em torno de mim uma luz dourada e vermelha.

O Pajé entra na cabana e me pergunta quem eu sou.

Respondo que sou um ser de luz em evolução e tratamento (o que é o mesmo).

Ele sorri e diz:  “esta é a resposta correta: sou um ser de luz”.

Ele diz que sou como ele. Sou uma curadora.

O que ele está fazendo comigo, eu farei com outros, porque esta é uma Iniciação Xamânica.

Estou prestes a me tornar um Xamã de Cura.

Já tenho minhas auxiliares que são as gnominhas.

Mas, ainda há muito a aprender.

“Aprender a Ser.

Aprender a ser clara e determinada para não permitir que a minha energia se perca e se dissipe”.

Ele diz que eu tenho muita energia. Sou capaz de acessar, captar e ancorar muita energia, mas deixo que ela me escape muito facilmente.

Diz que está na hora de mudar isto.

Minha vida física e meu trabalho no mundo dependem disto.

Diz que não devo mais amamentar ninguém.

“O tempo deste exercício materno se esgotou.

É tempo de aprender a ensinar as pessoas a abrirem os seus próprios canais de alinhamento.

Esta é a verdadeira aprendizagem e cura”.

Ouço tudo isto sentada em minha esteira.

Ele diz que agora faremos um exercício prático para que eu possa abrir os meus próprios canais que me ligam à Fonte de tudo o que existe.

Diz que este saber já está em mim.

“Os canais já existem.

Apenas precisam ser ampliados pela remoção dos resíduos internos”.

Ele ri e diz, “sim! Como as suas artérias”.

Uma fumaça branca entra pelo meu coração e vai se espalhando por todo o meu peito. Se demora em meu ombro direito e se espalha por todo o lado direito da minha aura.

Agora vai se espalhando por todo o meu corpo, trazendo uma sensação de calma e paz.

Ele sopra a fumaça em direção ao ombro/ouvido direitos.

Forma-se um redemoinho que atua no meu corpo todo, e uma substância escura começa a sair pelo chacra da coroa.

A fumaça branca entrando, turbilhonando, e a substância escura saindo…

Isto vai limpando o meu corpo e a minha aura.

É boa esta sensação de paz.

Há um silêncio.

Sinto os dois ouvidos sensibilizados.

“Seus canais internos estão sendo desentupidos”.

Vejo uma forma de luz: um triângulo dourado com vértice no centro da cabeça e ângulos nos ombros. As linhas passam pelos ouvidos.

Sinto subir uma energia do chacra da base até o chacra da coroa. Ao chegar ao topo, como um chafariz ela desce (pelos dois lados do corpo).

Sou uma borboleta!

 

aura corpo humano/borboleta

 

Registro mentalmente os meus animais: borboleta e leoa.

Algo vai caindo e saindo do meu corpo e meu corpo vai se tornando cada vez mais Luz.

 

Vou me expandindo…

 

Me vem que estou na Fonte.

 

A Fonte está em todo lugar.

 

Não é preciso ir a lugar nenhum. Só é preciso saber/sentir que a Fonte está em mim. Eu Sou a Fonte.

Eu Sou a Fonte de Tudo o que Existe.

Eu crio Tudo.

 

A borboleta serve para ir

A leoa serve para voltar

 

Tudo está em Mim e Eu estou em Tudo o que Existe.

 

Um delicioso perfume de flores brancas entra pela janela do quarto onde estou meditando.

Viver em dois mundos!

Simultaneamente!

Trazendo esta qualidade de paz para a vida material.

 

Amanhã devo ir para São Paulo trabalhar. Pergunto ao Xamã se posso ir para a dimensão da cabana estando lá.

Ele me responde: “Experimente!

A aldeia está em você.

Esta dimensão da Realidade está sempre ao seu alcance.

Aprender a viver nas duas realidades…

Viver na ilusão da matéria com forma como se ela fosse Real (porque é!), sabendo que a Realidade é a Energia Inteligente (Deus/Deusa).

Viver em uma sem perder a outra.

Esta é a aprendizagem do novo nível de consciência – Iniciação.

Depois, aprender a manipular a Realidade da matéria”.

Sinto um certo incômodo ao ouvir isto. O Xamã percebe e responde à minha indagação muda.

“Ela já é manipulada!

Aprender a manipular de uma forma mais benéfica.

Entenderá isto melhor, mais adiante”.

Respondo: sim.

Agora volto para os meus afazeres com a “aldeia” no coração.

Escuto ao longe: “Em algum momento será retirada a venda dos seus olhos”.

Saravá!

Que assim seja!

Autor

O Caminho Espiritual sempre foi meu foco de interesse na vida adulta: estudo, reflexão, meditação, autoconhecimento, crescimento e transformação pessoal. Partilhar o que encontramos nesta jornada também é uma exigência do Caminho. Por isto estou aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *