Eu Sou Deus

Eu Sou Deus


Nos primeiros meses despois da “Grande Mudança”, estava buscando um novo enquadre para o ritual da meditação.

Queria um mantra que me ajudasse a me centrar e entrar num outro Estado de Consciência.

Comecei a meditação do dia e pedi ao meu Eu Superior que escolhesse um mantra para mim.

Imediatamente ouvi: “Eu Sou Deus”!

Levei tamanho susto que imediatamente saí do estado meditativo e voltei para a consciência de vigília! Acabou a meditação!

Meu “ego psicólogo” soava um alarme em letras vermelhas: Perigo! Perigo! Inflação Psíquica! Perigo!

Hahaha!

Foi tamanho o susto que fiquei uns três dias sem meditar, tentando entender e me recuperar!!!

Passado o choque inicial me recordei dos Ensinamentos da “Fraternidade Branca” e do ”Mestre Saint Germain”. São Escolas que trabalham com afirmações ou decretos Eu Sou.

Lembrei-me vagamente de um decreto que termina assim:

Eu Sou Deus
Eu vim de Deus
Eu sou luz

Esta recordação começou a me tranquilizar: o mantra não era uma “invencionice inflacionária”. Nem mesmo era um mantra original. Era conhecido e utilizado por algumas tradições espirituais.

Comecei a refletir no sentido deste mantra:

Nós ocidentais fomos educados dentro da crença em um Deus que está fora e longe de nós: lá……… no alto!

Para muitos este Deus é imaginado como um respeitável senhor sentado em um belíssimo trono celeste, entre as nuvens.

Certamente esta foi a imagem de Deus que povoou a minha infância, mas já há muitos anos não era isto que a minha alma entendia como Deus.

Eu-Sou2Há muitíssimos anos já, minha imagem interior de Deus é uma abstração: a Energia Inteligente que havia criado e continua presente, de alguma forma, governando, toda a Criação.

Sendo parte desta Criação, era fácil e confortável para mim, me imaginar como “filha de Deus” e portadora, como todos, de uma “chispa divina” do Grande Criador.

Três dias depois, já mais recuperada do choque, retomei a meditação.

Ao inicia-la, a primeira coisa que ouvi foi:

Eu Sou Deus, assim como tudo o que existe

Este pensamento completo me tranquilizou!

Nunca usei este mantra em minhas meditações, mas, a ideia que ele expressa desencadeou em mim muitíssimas reflexões: percebi como ainda atuavam fortemente em mim as crenças limitadas e equivocadas aprendidas na infância!

Certamente meu córtex (mente) já armazenava o resultado de inúmeras leituras que entendiam Deus como uma energia difusa e abstrata, mas a “barriguinha” (emoção) da minha criança interior ainda abrigava registros cristalizados de um Deus externo, superior e distante. Estes registros estavam muito mais enraizados do que eu imaginava!

Descobertas como esta são muito importantes no Caminho Espiritual. Elas revelam desarmonias entre os nossos diversos corpos: espiritual, mental, emocional e físico, e sobre estas desarmonias é muito importante trabalhar, para que possamos atuar no mundo de uma forma mais inteira e harmônica.
O famoso Guru Osho diz que um Mestre é um terremoto!

Bem… este foi um dos terremotos desencadeados pelo meu Mestre Interno: meu Eu Superior.

Autor

O Caminho Espiritual sempre foi meu foco de interesse na vida adulta: estudo, reflexão, meditação, autoconhecimento, crescimento e transformação pessoal. Partilhar o que encontramos nesta jornada também é uma exigência do Caminho. Por isto estou aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *